VOCÊ É EFICIENTE OU EFICAZ?

Ser eficaz é diferente de ser eficiente.

Ser eficiente significa fazer o que deve ser feito.

Ser eficaz significa fazer o que precisa ser feito.

Tanto eficiência quanto eficácia tem a ver com um processo de cumprimento de objetivos.

Só que eficiência tem a ver com execução:

– Cumprir a ordem.

Enquanto eficácia tem a ver com resolução:

– Restabelecer a ordem.

Uma pessoa eficiente faz o que tem de ser feito, sem necessariamente se preocupar com o resultado.

Ela terá sempre como foco o cumprimento de suas atividades, tarefas e procedimentos predeterminados.

Uma pessoa eficaz terá sempre em mente que o importante é realizar algo que efetivamente resolva uma situação.

Alguém que usualmente cultue a eficiência em sua rotina do dia a dia poderá considerar como absolutamente equivocados quaisquer comentários quanto suas estratégias de atuação.

Já, alguém que tenha em mente a cultura da eficácia terá sempre em mente que não basta desempenhar de maneira rápida uma determinada função, cargo ou tarefa, se não contribuir para a resolução dos problemas.

Problemas? Sim, problemas. E a vida é cheia de problemas, simplesmente por conta das dificuldades do dia a dia.

E é justamente dessa abundância de problemas que nasce a necessidade de se diferenciar quem é:

– Eficiente…

E quem é:

– Eficaz!

Quando uma pessoa eficiente durante a noite tem seu sono interrompido pelo latido de seu cachorro no quintal de sua casa, o que ela pensa?

– Meu cachorro latiu: ora, todos os cachorros latem.

A pessoa cujo foco é um desempenho eficiente vai concluir inevitavelmente que cumpriu seu papel, vai se virar na cama para o outro lado e voltar a dormir.

Eficiente, não?

Mas quando uma pessoa eficaz durante a noite ouve o latido de seu cachorro no quintal de sua casa, o que ela pensa?

– Meu cachorro latiu; por quê?

A pessoa cujo foco é o desempenho eficaz não vai simplesmente se virar na cama para o outro lado e voltar a dormir…

Vai, isto sim, procurar entender o mérito do que está acontecendo!

E muito provavelmente vai largar o aconchego de sua cama, vestir um roupão ou o que quer que seja e tentar entender por quê o cachorro da casa está latindo.

Ou seja, ela vai tentar esclarecer o fato para daí então saber se há um problema que necessita de atenção.

E finalmente, identificada a origem da situação e se for o caso, tentar resolver o problema.

Afinal, você é eficiente ou eficaz?

Pois ser eficiente ou eficaz não representa um destino numa via de mão única.

É simplesmente uma opção de escolha entre uma das seguintes alternativas:

– O que deve ser feito: e,

– O que precisa ser feito…

A diferença entre elas? Um simples exercício de resiliência.

***

“Nunca confunda movimento com ação.” (Ernest Hemingway)

 

Comentários: