SIMCA CHAMBORD

Simca Chambord:

– Intencionalmente radical, mas com democracia.

Mesmo quando a política não permitia isso…

Diante dos tantos protestos que temos presenciado nas ruas do país – notadamente em junho de 2013…

Diante de tantos “quebra-quebras”…

Em que pulularam atitudes radicais…

Extremas…

Desconexas…

Sem sentido…

Beirando (e às vezes ultrapassando) o limite da pura manifestação de vandalismo…

E, fundamentalmente, diante de tanto clamor das massas por atenção das autoridades públicas por atendimento às demandas sociais – algumas muito  justas!

Afinal…

Para quê “Copa do Mundo” no Brasil?

Enfim…

Decidimos!

Vamos colaborar!

De maneira madura e produtiva.

Compartilhando um “pequeno mini manual sintético” sobre como deveriam ser as manifestações de protesto.

Pois “Simca Chambord” nada mais é do que um manual.

Um pequeno manual…

Talvez até mini…

Mas que, consciente ou inconscientemente, traduz o espírito de uma época.

A época de ouro das reivindicações.

Pois quando esse vídeo foi feito o que se reivindicava era que a que a democracia fosse ampla, geral e irrestrita!

“Coincidentemente”, tal qual como promulgada lei da anistia, pós ditadura

Ditadura, aliás, que a maioria dos que estão nas ruas nem faz a menor idéia do que seja.

E é por isso que seria interessante a todos rever esse “documento histórico”…

“Simca Chambord” é uma música do “Camisa de Vênus”.

Uma banda cujo objetivo inicial em suas apresentações era o de subverter o status vigente.

A começar pelo nome da Banda:

– Camisa de Vênus?

Acredite, na década de oitenta, essas palavras (Camisa de Vênus) representavam um termo extremamente ofensivo…

Alguma coisa parecida com algo que era para lá de um… Palavrão!

E dos fortes! Dos pesados…

Daqueles que os pais não perdoavam quem os dissesse!!!

Algo que muitos da geração atual nem fazem idéia do que representa…

“Simca Chambord” é um retrato de uma época em que não se ia às ruas para manifestações reivindicando tarifas de ônibus mais baratas…

Não se ia à ruas para manifestações reivindicando mais saúde…

Nem melhor educação…

Muito menos mais segurança…

Ia-se às ruas para manifestações que, simplesmente, reivindicavam um direito…

O direito básico do exercício da política.

Um direito sagrado para todos, mas que só pode ser assegurado pela via da democracia,  independentemente da política.

O direito de sonhar com um Simca!

Chambord….

***

“O inferno está cheio de boas intenções.” (Samuel Johnson)