VERDADEIRA SABEDORIA

De onde saiu a idéia de que existe uma verdadeira sabedoria?

Saiu obviamente de alguém que simplesmente disse um “obrigado”.

Pois haverá momentos na vida em que um simples “obrigado” será uma manifestação plena de sabedoria.

Em outros momentos, nem tanto – e isso sempre vai depender tanto de quem diz quanto de quem escuta.

A alguém que diga estar com úlcera…

O que custa responder que talvez possa estar com azia?

A alguém que diga estar com um tumor na garganta…

O que custa responder que possa estar rouco?

A alguém que diga que está se separando…

O que custa responder que talvez ainda não saiba direito o que significa amor?

A alguém que diga que está desempregado…

O que custa responder que talvez esteja infeliz no emprego?

A alguém que diga que tem dificuldades com a gramática…

O que custa responder que talvez nunca saiba direito quando a palavra “porque” leva acento?

A alguém que diga que a vida profissional não tem sentido…

O que custa responder que talvez ainda esteja entendendo o real sentido de sua própria profissão?

Problemas sempre existirão na vida das pessoas – não importa a condição em que elas estejam.

“Ah, mas se tiver dinheiro…”

Dinheiro?

Dinheiro é sim importante, mas não é tudo.

Pois o que há de mais importante na vida, o dinheiro não pode comprar.

Dinheiro pode comprar sexo!

Mas não pode comprar amor…

Dinheiro pode comprar hospital!

Mas não pode comprar saúde…

Dinheiro pode comprar cultura!

Mas não pode comprar inteligência…

Dinheiro pode comprar companhia!

Mas não pode comprar amigos…

Dinheiro é muito importante!

Mas não é garantia de felicidade.

Por exemplo, no mundo corporativo, sempre haverá quem demita uma pessoa pelo fato de ela não procurar demonstrar a todo momento o que ela sabe… E outras que vão contratá-la pelo mesmo motivo.

Afinal, qual a verdadeira sabedoria?

Há momentos na vida em que a maior demonstração da verdadeira sabedoria é fazer de conta que não sabe nada…

***

“Que DEUS me dê serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, coragem para mudar as que posso e sabedoria para distinguir entre elas.” (Reinhold Niebuhr)