DEUS: ALGUM EM SUA VIDA?

Não se engane!

Sempre haverá algum DEUS em sua vida…

Nossos corpos estão onde estamos; nossos espíritos são o que somos.

Nunca haverá motivação maior na vida de uma pessoa do que procurar agir de forma a atender às expectativas de seu DEUS: seja com o cérebro, seja com os joelhos.

Os ateus que me perdoem mas DEUS é fundamental!

Tão fundamental que não importa qual seja a religião de uma pessoa, ou mesmo a falta dela – pois na prática do dia a dia da vida todos têm um e procuram recorrer a ele com assiduidade diária, de uma maneira ou de outra.

Aliás, não só o procuram como o cultuam incessantemente, com vigor – principalmente nos momentos de dificuldades extremas, onde as agruras da vida nos impõem situações de absoluta desconexão entre o problema que nos é apresentado e nossa capacidade de resolvê-lo.

E nessas horas não há ser humano sobre a face da Terra que não procure como sua fonte de inspiração seu DEUS:

– Uma entidade a quem ele recorrerá sempre que se sentir sem condições de controlar a maneira como segue sua existência…

E por isso, todas as pessoas, ao longo de sua vida, sempre elegerão um DEUS para cultuar, adorar e recorrer a ele naqueles momentos de dificuldades em que mais precisam de uma fonte de inspiração para que seus problemas possam ser resolvidos, quaisquer que seja a origem desses problemas:

– Saúde;

– Família;

– Amor;

– Estudo;

– Emprego;

– Trabalho;

– Negócios;

– Dinheiro;

– Solidão;

– Morte…

E em todos e quaisquer momentos da vida em que sua mente seja povoada pelas angústias inerentes e inevitáveis a qualquer pessoa que esteja viva.

Mas há também aqueles que recorram a DEUS simplesmente por não conseguirem enxergar como as coisas funcionam na vida.

De qualquer maneira, jamais acredite na hipótese de, eventualmente, algum ser humano sobre a face da Terra não possuir uma crença em DEUS.

Isso, definitivamente, não existe: o que existirá sempre é uma interpretação pessoal e subjetiva sobre a realidade que cerca as pessoas – e a própria existência humana.

Em outras palavras, a capacidade que as pessoas têm de estabelecer um DEUS considerando aquilo que mais lhe pareça importante ou premente dentro do contexto em que se desenvolve sua vida:

– Há quem considere seu emprego como o sustentáculo do mundo – seu emprego é seu DEUS.

– Há quem considere a empresa em que trabalha como o sustentáculo do mundo – a empresa em que ele trabalha é seu DEUS.

– Há quem considere sua religião como o sustentáculo do mundo – sua religião é seu DEUS.

– Há quem considere o dinheiro como sendo sustentáculo do mundo – o dinheiro para ele é seu DEUS.

– Há quem considere não existir DEUS – ele próprio é seu DEUS.

DEUS representa em síntese a fonte primária de toda a motivação necessária para que alguém se proponha a fazer alguma coisa na vida:

– Desde tomar a iniciativa de assumir para si a responsabilidade de revolucionar o mundo com suas idéias, até a de tomar a iniciativa de se levantar da cama pela manhã para levar o saco de lixo para a porta de casa antes da passagem do caminhão de lixo.

Portanto, muito cuidado ao lidar com aqueles que se autodenominam ateus!

Pois inclusive eles, mesmo dispostos a convencer as pessoas que a vida não tem sentido em si, em última análise…

Também têm seu DEUS…

***

“Se DEUS não existisse, a gente precisaria inventá-lo.” (Fiodor Dostoievski)

 

DEUS

Crer em DEUS condiciona automaticamente o pensamento de uma pessoa a aceitar que existe uma entidade superior a ela.

E justamente por conta dessa superioridade, a respeitá-la. 

Que é o que se faz com todo superior. 

Quer seja com os pais, com os professores, com os vizinhos, com os chefes e com todos outros mais com os quais nos relacionamos no dia a dia da vida.

Ou seja: 

– Na família;

– Na escola; 

– Na sociedade; 

– No trabalho;

– Na vida… 

Crer em DEUS não significa abdicar da própria capacidade de realização.

Pelo contrário, significa isto sim entender que sua capacidade de realização pode não ser suficiente para enfrentar e suplantar os desafios de sobrevivência. 

Significa aceitar humildemente a incapacidade de assumir como tendo sob controle tudo o que possa ocorrer ao seu redor. 

Significa assmir a necessidade de aceitar a contribuição que os outros podem agregar a nossa vida. 

Porque o simples fato de se crer em DEUS traz uma energia adicional absolutamente inequívoca ao pensamento – que é a base primordial para todas e quaisquer iniciativas de qualquer pessoa. 

Ao se crer em DEUS, automaticamente, isso implica em: 

1. Considerar todos como seus semelhantes – seus irmãos… 

2. Ouvir – sem restrições… 

3. Falar – sem divagações… 

4. Olhar – sem preconceitos… 

5. Sentir – sem devaneios… 

Uma articulação mental focada na crença da existência de uma entidade superior faz com que a pessoa desenvolva internamente a capacidade de conviver com tudo o que não lhe seja à primeira vista favorável.

Pois é esta a primeira e única mensagem subliminar contida na crença de uma entidade superior:

– Você não é; você está.

E é por isso que todos aqueles que se assumem como estando submetidos aos desígnios de uma força superior acabam por conquistar muito mais do que quaisquer outros que se considerem auto-suficientes: 

– Leonardo da Vinci;

– Abraham Lincoln;

– Charles Darwin;

– Mahatma Gandhi;

– Madre Tereza de Calcutá…

Não existe qualquer pessoa sobre a face da Terra com registro de sucesso na história que não tenha assumido uma postura de submissão aos desígnios divinos – consciente ou inconscientemente.

À crença em uma entidade superior.

Nem os ateus – aliás, principalmente eles!

Que usualmente chamam de natureza o que outros chamam de DEUS.

Crer em DEUS não garante saúde, muito menos sucesso na vida – mas pode fazê-la ser muito mais fácil de ser vivida…

***

“Você pode fazer muito pouco com a fé. Mas você não pode fazer nada sem ela.” (Samuel Butler)