SUPER-HOMEM

O que significa ser um Super-homem?

O herói dos sonhos…

Muitas noites, muito antes de se deitar, ele já sentia que só se tivesse sido um super-homem durante o dia seria fácil dormir.

Dias longos, percalços, dúvidas, desapreços, dissimulações.

E a adrenalina que vinha e ficava.

Qual o remédio? Contar carneirinhos pulando cerca, como nos ensinaram os desenhos infantis em nossa infância?

Carneirinhos… Pulando cerca? Ahhh… Qualé!

Nessas horas, o que ele mais gostaria é que o “mundo” explodisse; algo parecido com o fim do mundo em “Presságio” – “Knowing”, no original em inglês; filme protagonizado por Nicholas Cage, sobrinho de um tal de Francis Ford Coppola, diretor e produtor americano que fez alguns filmes que podem ser considerados até “interessantes”…

Bem, não é que ele quisesse que o mundo explodisse – pelo menos não literalmente.

O que ele queria era a oportunidade de mostrar todo seu potencial reprimido, uma chance de, num momento extrema dificuldade e risco, poder exercer toda a sua capacidade de contribuição para o aprimoramento da realidade da raça humana – e, no exato momento em que o cataclisma terráqueo se fizesse iminente, ele pudesse expor toda sua capacidade de resolução dos problemas que afligissem essa continuidade.

Alguma coisa parecida com o que o “Super-Homem” sempre fez!

E era isso que ele pensava: super-homem não contava “carneirinhos pulando uma cerca”!

Super-homem fazia sim é sobrevoar as planícies e planaltos do  planeta, num movimento anti-horário, com seus superpoderes, revertendo o movimento de rotação e translação da Terra, a ponto de poder voltar no tempo e evitar sua aniquilação.

E era assim, pensando em seu ídolo maior que ele procurava dormir, acomodando suavemente sua cabeça no travesseiro.

E era só assim que ele conseguia adormecer: imaginando-se um super-herói!

Afinal, nada como procurar sentir-se o salvador do planeta, o redentor da raça humana, a última esperança da Terra…

Para tentar compensar o vazio de não ter concluído a “p*##@” do relatório que o chefe dele esperava ter recebido em sua mesa no fim daquele dia.

E que ele tinha tentado entregar.

Tentado!

Tentado!!

Tentado!!!

Mas que o chefe não recebeu.

Em compensação, em seus sonhos, ele sempre se via salvando o planeta – e era só assim que ele conseguia relaxar.

Certo de que suas façanhas enquanto dormindo eram o suficiente para compensar seu desempenho quando acordado!

E por conta desse seu sonho de se achar o super-homem, ele conseguia dormir.

E como dormia!

Totalmente imerso em seu mundo…

***

“Você não pode tentar fazer coisas, você deve simplesmente fazê-las.” (Ray Bradbury)

 

Comentários: