SONHO

Uma noite de pesadelos é o resultado inevitável de um dia sem sonhos realizados.

Justamente por isso é que o princípio básico que qualquer um deveria possuir no dia a dia de sua vida (pelo menos enquanto acordado) é:

– O que vou fazer hoje para me sentir realizado ao final do dia?

E “realizado” no caso significa ter a predisposição para fazer alguma coisa que, de uma maneira ou de outra, terá justificado aquela pessoa ter se levantado da cama naquele dia: para trabalhar, para estudar, para se divertir.

Ninguém se levanta de sua cama no dia a dia por achar que isso é bonito, nem mesmo os que fazem parte da geração “saúde”.

(Correr, correr, correr… Para onde? Fugindo do quê? Das doenças? Eis aí o maior engodo pretensamente intelectual já criado pela sociedade do politicamente correto e endossado hipocritamente pela medicina, simplesmente com o objetivo de procurar manter sua influência, seus cargos e principalmente seus salários; mas sem qualquer exercício de caráter, já que exploram pessoas fracas de espírito, que não possuem a capacidade de entenderem que não existe saúde eterna – não se engane: todo mundo vai morrer um dia…)

Afinal: levantar da cama para quê? Só para caminhar? Para chegar onde? Em busca de quê?

A maioria das pessoas não deveria ser tão burra (ou burra o suficiente) para fazer algo que saia do nada e leve… A lugar nenhum!

Pensar que isso seria possível seria aceitar a teoria de Charles Darwin, só que… Às avessas!

Pois nem um cãozinho, o mais fiel dentre os integrantes do reino animal tido como “irracional”, abana o rabo se não for por uma razão que lhe justifique essa iniciativa.

Pensar que o ser humano, tido como racional, seria capaz de alguma iniciativa sem ter qualquer perspectiva quanto ao resultado seria, no mínimo, colocar o cãozinho (ou cachorrinho, tanto faz) num patamar superior ao de qualquer ser humano.

Então, como ficamos?  Ficamos como sempre estivemos.

Ontem, hoje, amanhã – e sempre!

Vivendo em função de nossos desejos, de nossos almejos, de nossas perspectivas, de nossos…

Sonhos!

Que são o que de mais importante pode acontecer na vida de qualquer pessoa – pois sonhos inspiram…

Incentivam…

Animam…

Dão um colorido especial à vida…

E à própria existência!

E então?

Quer dormir bem à noite?

Sem sobressaltos?

Sem sustos?

Sem pesadelos?

Sonhe!

E sonhe muito!

Sonhe durante o dia; sonhe durante a noite.

E sonhe grande!

Muito grande!

Tão grandiosamente que nem possa esperar pelo momento de acordar:

– Vou ser gerente desta empresa este ano!

– Vou começar uma pós-graduação em seis meses!

– Vou passar minhas férias no Taiti no ano que vem!

Sonhar! Essa é a chave – e ao sonhar, vá e faça!

Sonhos são importantes por conta da energia gerada internamente! Inspirando nossa iniciativa pessoal! Nosso potencial no mundo! E de nossa importância em relação a ele.

Mas só sonhe assim quando estiver bem acordado – senão, esse sonho pode virar um pesadelo: um sonho onde não se tem idéia sobre o que está ocorrendo a seu redor.

Um pesadelo nada mais é do que um sonho: um sonho mal executado na vida real:

– Pela falta de desejos específicos; de almejos explícitos; de perspectivas concretas.

Enfim…

Sonhos mal resolvidos.

***

“O homem vive de razão – e sobrevive de sonhos.” (Miguel de Unamuno)