RUÍDO

Ruído?

– Só se ouve algum quando não se está pensando…

Ele tinha ouvido um ruído.

E logo em seguida, outro ruído…

Mas não era algo assim tão claro que pudesse ser considerado como um simples ruído.

Parecia-lhe ser algo mais do que isso:

– Um ruído profundo;

– Um ruído intenso;

– Um ruído acachapante;

– Um ruído arrasador…

Que acabou por destruir por completo toda sua capacidade de concentração naquilo que até então ele estava realizando – ou pelo menos, tentando realizar.

E por conta disso, ele acabou perdendo o fio da meada que norteava seus procedimentos em busca:

– De idéias;

– De inspiração;

– De realização…

E tudo isso, por conta de um ruído; um simples e maldito… Ruído!

O que são ruídos?

Ruídos são interferências indesejadas que interferem em nosso processo mental de concentração.

Interferências que surgem do nada, e levam a lugar nenhum.

Um ruído, antes de mais nada, é uma manifestação externa e, conseqüentemente, alheia à nossa vontade.

E que por isso mesmo quando ocorre, quebra tudo…

Quebra nossa atenção…

Quebra nossos nervos…

Quebra nossa produção…

E por conta disso tudo, ele se sentiu frágil…

Impotente…

Sabotado…

E por isso se quebrou…

Pois perdera sua capacidade usual de executar…

De avaliar…

De concluir…

Literalmente, ele estava quebrado…

Mental e psicologicamente…

Às vezes, um ruído é assim…

Para qualquer pessoa…

A qualquer momento…

Ele acontece…

Por quê?

Porque simplesmente…

Acontece…

E foi então que ele começou a se indagar…

“Por que isso acontece…?”

“Todo dia…”

“Toda noite…”

“Sem qualquer aviso…”

“Quem é que suporta isso…?”

“Todo dia…”

“Todo…”

E, enquanto pensava, sua reflexão tinha era novamente quebrada…

Mais uma vez…

Quebrada…

Por um som estridente…

Provavelmente, um grito…

Ou um alerta…

Ou algo parecido…

Que ele não conseguiu definir de bate-pronto…

Mas que se repetiu…

Por uma…

Duas…

Três vezes…

Até que, finalmente, ele se rendeu…

E se predispôs a escutar…

Para tentar interpretar…

E, quem sabe, tentar compreender que:

– Um ruído só interfere em nosso pensamento quando deixamos de nos dar conta do que já tinha ruído antes…

– Olhe só pela janela; não é linda a paisagem?

– Acho que nem tanto…

– Não? Por quê?

– Você sabe: tudo em volta está ruído: de que vale a janela? De que vale a paisagem?

E ele passou a meditar…

Meditar…

Meditar…

Até que finalmente ele respondeu:

– O que você sugere: que eu troque a janela ou a paisagem?

– …

***

“Não deixe que o ruído da opinião alheia impeça que você escute a sua voz interior.” (Steve Jobs)