QUAL É A MELHOR RELIGIÃO

A sabedoria popular sempre teve como máxima que não se discute a preferência pessoal na religião – muito menos no futebol.

Acredita-se que nesses dois temas nunca haverá concordância; afinal, pergunte a qualquer torcedor do Palmeiras:

– Qual o melhor time do mundo?

Invariavelmente, sua resposta será:

– Palmeiras!

E se a pergunta for feita a qualquer torcedor do Corinthians: qual seria a resposta?

– Corinthians!

Independentemente do que ele tenha visto por vezes em termos de desempenho, maestria e inspiração do time do Palmeiras, ao longo da história dos embates diretos com o maior de seus adversários.

E futebol é simplesmente isso, um embate: um choque impetuoso contra uma forte oposição, que é a grande graça do jogo – afinal, não existe embate sem adversário.

E religião, muitas vezes, também é levada por esse lado – o lado do embate, como se houvesse uma disputa entre as tantas existentes. Mas afinal… Que disputa? Religião não foi concebida por conta de um desafio; religião foi concebida pelo próprio ser humano como um conforto.

Um conforto para as agruras e percalços durante a vida das pessoas durante sua breve passagem pela Terra… É para isso que serve religião! Não para inspirar quem quer que seja para um confronto! Independentemente de qual seja a religião, de quem quer que seja. Pois religiões não disputam um campeonato. E podem sim ser discutidas – pois tudo na vida pode ser discutido. Sem necessariamente causar constrangimento entre quem discute.

Desde que, entre os debatedores, tenhamos pessoas interessadas não em saber qual a melhor religião.

Mas sim o que é melhor para cada ser humano:

– Independentemente se palmeirenses ou corinthianos…

DIÁLOGO breve entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff e Dalai Lama.

Leonardo Boff explica:

No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz ente os povos, na qual ambos participavam, eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico, lhe perguntei em meu inglês capenga:

– Santidade, qual é a melhor religião?

Esperava que ele dissesse: “É o budismo tibetano” ou “São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo.”

O Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, me olhou bem nos olhos – o que me desconcertou um pouco, porque eu sabia da malícia contida na pergunta – e afirmou:

– A melhor religião é a que mais se aproxima de Deus. É aquela que te faz melhor.

Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta, voltei a perguntar:

– O que me faz melhor?

Respondeu ele:

– Aquilo que te faz mais compassivo…

(E aí senti as ressonâncias tibetana, budista, taoísta de sua resposta…)

– Aquilo que te faz mais sensível… Mais desapegado… Mais amoroso… Mais humanitário… Mas responsável… A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião…

– …

Calei, maravilhado… E até os dias de hoje estou ruminando sua resposta sábia e irrefutável.

Enfim, qual é a melhor religião?

Aquela que melhora sua saúde:

– A melhor religião é aquela que eleva o pensamento de alguém além dos sentimentos pueris, mostrando a ela o caminho a ser seguido rumo à felicidade.

***

“Se querer ser feliz é querer demais… Desculpem-me os que pensam assim, mas com esse pensamento, a cada dia que passa, a infelicidade mais os dominam.” (Luca Pacioli)

 

Comentários: