PROBLEMAS NO TRABALHO

Problemas no trabalho todo mundo tem – a questão é saber o que fazer quando eles insistem em nos confrontar…

Jorge estava furioso; tinha acabado de sair da sala do Victor, onde ouvira tudo o que não queria – e mais alguma coisa…

E foi direto falar com o Orlando:

– Oi, Orlando!

– Oi, Jorge…

– Pô, cara, cê acredita que o Victor acabou de me dar um esporro?

– É?

– Não, cara, é sério! Que baita falta de sensibilidade!

– Por quê?

– Só porque não pude ir à reunião do comitê de avaliação…

– É; também senti sua falta na reunião…

– É, mas não foi sem motivo! Tive meus problemas!

– É?

– E muitos problemas; cê sabe de minha postura profissional!

– …

– De meu senso de responsabilidade!

– …

– De minha dedicação à empresa!

– …

– Eu tive meus problemas – e expliquei para ele, mas mesmo assim, ele não deu a menor bola…

– …

– Fez que nem era com ele…

– …

– Claro… Ele só quer resultado!

– …

– Não tava nem aí com meus problemas…

– Ahnnn, Jorge, afinal: o que aconteceu?

– Minha unha encravada, cara… Cê acredita? Inflamou!

– …

– Como é que eu poderia chegar aqui no horário?

– …

– É incrível como certas pessoas não possuem um mínimo de sensibilidade para avaliar os problemas que fazem as pessoas agirem como agem!

– …

– …

– …

– Orlando… Tudo bem?

– …

– Orlando?

– …

– Orlando!

– Oi…

– Tá tudo bem contigo?

– É…

– É?

– É…

– O que foi, cara? O que está acontecendo? Fala comigo, se abre! A gente é amigo! Amigo é para essas horas: as horas de dificuldade!

– …

– Fala!!!

– Sabe o que é: é que ontem tive de internar minha mãe numa clínica psiquiátrica…

– Sério? Por quê?

– Ela sofreu um choque nervoso depois que meu pai teve de ser operado às pressas para implantar duas pontes de safena…

– …

– Mas aí eu tive de levar o Orlandinho pro hospital, porque ele teve uma crise de asma…

– Seu filho…

– É… Mas a Sandrinha, minha filha, também passou mal… E ela acabou indo junto… E os dois acabaram ficando internados…

– Ahnnn… Mas, e sua esposa…?

– Anteontem tivemos uma discussão pesada – ela já vinha reclamando muito de minha ausência, de minha dedicação integral à empresa…

– E?

– Bem… Ela saiu de casa e foi para a casa da mãe…

– …

– …

– Cara, cê tá vivendo todo esse drama pessoal, e eu aqui com churumelas… Que mico! E eu aqui me queixando…

– …

– Cara, desculpe! Me desculpe pela minha inconveniência!

– Ah, Jorge, para com isso!

– Para com isso? Meu, cê deve estar um caco!

– Não: nem de longe…

– Não? Puxa: pensei que tivesse pisado na bola!

– Ah, isso sim, você pisou na bola, e muito!

– Pisei?

– Claro! Eu tinha chegado para trabalhar normalmente, cheio de energia e entusiasmo, como faço todos os dias…

–  ?

– Pô! Precisava me lembrar de minha unha encravada?

– …

***

“O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada a ver com isso.” (Mario Quintana)

 

Comentários: