PRESIDENTA

***

Minha “genta”,
Quanta agonia…
Quem agüenta,
Tanta ironia?

Há quem possa
Pensar na Lua,
Se nem fossa
Tem sua rua?

Bate à porta:
Indigente…?
“Indigenta”…?
Que importa?

Bate à porta:
Insolvente…?
“Insolventa”…?
Que importa?

Bate à porta:
Inocente…?
“Inocenta”…?
Que importa?

Isso adianta?
Agiganta?
Isso reluz…
Ou só reduz?

De que lavra,
Produtiva,
Sai palavra…
Pouco altiva?

A “Gerenta”,
Há de convir:
“Presidenta”?
Só no porvir…

***

“Não pergunte o que o país pode fazer por você, mas o que você pode fazer pelo país.” (John Fitzgerald Kennedy)

 

Comentários: