PESSIMISMO DEMAIS ATRAPALHA?

Entre pessimismo e otimismo, reflita:

– Qual dentre eles é o mais importante para se cultuar no dia a dia da vida de uma pessoa?

Na realidade nem um nem outro: o que importa na vida é saber quando é necessário se ter medo!

Pessimismo pode até ser bom no dia a dia da vida de uma pessoa, desde que esse sentimento não torne essa pessoa absolutamente…

Pessimista!

Porque quando uma pessoa se torna absolutamente pessimista acaba conferindo um poder inimaginável aos temores que cultua.

Tão inimaginável que muitas vezes muitos pessimistas acabam por desejar que aquilo que eles previram aconteça – só para provar que realmente estavam certos…

No fundo, o pessimismo representa uma atitude de alguém que fala muito sobre os infortúnios da vida – talvez tentando justificar para si mesmo os reveses que sofreu ao longo de sua existência.

E o pessimismo pode ter muito a ver com baixa autoestima – que é quando alguém só vê como resultado o negativo em qualquer situação.

Aliás, a baixa autoestima é um problema seríssimo em nossos tempos.

Numa sociedade absolutamente competitiva, em que o selftalk desempenha um papel fundamental como fonte geradora de energia mental, o pessimismo faz com que muitas pessoas tenham dificuldade em enfrentar a vida do jeito que ela é – pois a vida é cheia de confrontos, lutas e desafios.

E quando alguém se considera inapto a enfrentar toda essa realidade, se não se der conta a tempo, pode ser envolvida por uma onda…

A onda do pessimismo.

E, nos casos mais emblemáticos, chegando ao ponto de se achar…

Inútil!

Um sentimento absolutamente enganoso, por não perceberem que na vida ninguém jamais será inútil – na pior das hipóteses, sempre poderão ser úteis ao servir como mau exemplo…

Quando alguém teme sofrer, já está sofrendo pelo que teme.

E se esse alguém procurasse enxergar a longo prazo, veria que seria melhor sofrer o pior no presente, do que viver no eterno medo dele.

O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade.

Pessimismo e otimismo têm muita utilidade em nossa vida.

E o que os diferencia é a intensidade:

– Pessimismo demais compromete a possibilidade de novas experiências;

– Otimismo demais compromete a possibilidade de sobrevivência…

E o medo?

Onde é que o medo entra nessa história?

***

“O medo é uma coisa boa. Se você não tiver medo, acaba pulando da janela.” (Keith Richards)

 

Comentários: