SILÊNCIO

Silêncio: até um idiota pode se igualar a um sábio se não falar nada…

Afinal, fazer barulho qualquer um faz!

A cultura popular nos ensinou desde pequenos que o silêncio vale ouro – e talvez seja justamente por isso que no mundo de hoje ele tornou ainda mais valioso!

Há um monte de gente falando um monte de coisas: coisas boas,  coisas ruins – e sempre falando!  Sem se importar com o que falam; pois para esse “monte” de gente basta tão somente… Falar!

E para eles pouco importa o real significado do que dizem – muito menos do que transmitem.

Aliás, a grande maioria deles não tem a menor noção da diferença entre “falar” e “dizer”.

Por que é que eles falam tanto, sem muitas vezes não dizerem nada?

Seria tão bom se nos conscientizássemos de que, muitas das vezes, o silêncio representa o argumento mais difícil de alguém refutar…

Pois até um tolo que não diga uma palavra, pode se igualar a um “sábio” que se cala – pois eles, os “sábios”, muitas vezes se calam.

A cultura popular consagrou o historicamente célebre pensamento:

– Em boca fechada, não entra mosquito!

Mas a cultura contemporânea radicalizou:

– Você tem de se mostrar!

Mostrar o quê? Que um tambor faz muito barulho, mas é vazio por dentro?

Falar muito, sem na maioria das vezes não fazer a mínima idéia sobre as possíveis consequências do que está falando!

Falar muito cansa quem teoricamente (pois na prática pode ser que não) esteja ouvindo!

Quando uma pessoa possui sabedoria, fala porque tem alguma coisa a dizer; quando não possui sabedoria, fala porque acha que tem de falar alguma coisa, sem saber o que dizer…

Seja precavido; e tome cuidado!

Nas redes sociais na internet, tudo fica registrado.

Não se iluda: todos se lembrarão daqueles que perturbam sem perceber.

Os inocentes serão os que cultuam, pragmaticamente, o silêncio.

E o restante? Todos culpados.

O silêncio vale ouro, às vezes prata; na pior das hipóteses, bronze.

E o mais importante é ter em mente que em qualquer uma dessas hipóteses, nunca se estará fora do pódio!

Comunicação é como uma maratona – cada sentido no momento certo:

– Falar é assisti-la;

– Ouvir é corrê-la;

– Dizer é vencê-la…

Falar qualquer um fala – mas só quem tem argumentos possui a possibilidade de ser capaz de convencer quem quer que esteja ouvindo…

***

“O silêncio é um dos argumentos mais difíceis de se refutar.” (Josh Billings)

Comentários: