PLANEJAMENTO

Planejamento:  preciso ler isto agora?

Planejamento é uma das coisas mais chatas da face da Terra.

E é justamente por isso que a maioria das pessoas foge disso!

E foge por conta de uma esperança:

– A de que, independentemente de o que façam (mas, principalmente, o que deixam de fazer) o resultado final será… A redenção de suas omissões!

Assunto chato esse, não?

Você não acha?

Eu acho.

E se você também achar assim, então vamos abreviar logo esse martírio verborrágico…

E partir direto para aquilo que é inevitável – a conclusão:

–  Independentemente de quaisquer idéias que se tenha em relação à vida, o que importa é o resultado daquilo que se faz…

Como assim: o que se faz?

Um pequeno mini manual sintético sobre planejamento:

1 – Planejar não significa consultar sua agenda para ver o que você tem de fazer, mas sim colocar em sua agenda o que precisa ser feito;

2 – Planejar as pequenas tarefas que podem ser executadas em seu dia a dia é muito mais eficiente do que planejar grandes tarefas – pois estas podem requerer um novo planejamento;

3 – Planejar sem estabelecer datas para a realização do que foi planejado é como sonhar – só a própria pessoa que sonhou acha que alguma coisa aconteceu;

4 – Planejar inclui a hipótese de um Plano B – qualquer processo de planejamento que considere que tudo ocorrerá da maneira como foi planejado não é planejamento, é obra de fé;

5 – Planejar implica em preparo para realizar o que foi planejado – sem se preparar, o que se planeja é falhar;

6 – Planejar impõe autocrítica constante – a ponto de determinar, a certa altura, a necessidade de um novo planejamento;

7 – Planejar exige conhecimento sobre a viabilidade do produto final – pois não adianta um planejamento perfeito para a realização perfeita de algo que nunca deveria ser feito;

8 – Planejar é estabelecer um caminho detalhado para um destino definido – sem seguir as pegadas de quem não conseguiu chegar lá;

9 – Planejar o planejamento pode parecer incoerente – mas só para aqueles que, durante o sono, nunca sonharam que estavam sonhando;

10 – Planejamento se torna um hábito saudável, desde que praticado com moderação – se assim não o for, poderá se tornar uma dentre as já inúmeras manifestações tácitas de presunção do gênero humano na convivência com seus pares no seu dia a dia, e talvez a pior dentre elas; a busca insana pela perfeição…

***

“Planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras, mas com o futuro de decisões presentes.” (Peter Drucker)

 

Comentários: