PAGAR À VISTA OU PARCELAR NO CARTÃO?

Pagar à vista em dinheiro ou cheque com desconto ou parcelar sem desconto no cartão de crédito?

O uso diário do cartão de crédito na vida das pessoas não deveria ser automático, pois pode representar uma armadilha em termos de finanças pessoais:

– Pagar com desconto de 10% no preço à vista? Ou pagar no cartão de crédito em 12 vezes “sem juros”, sem desconto?

A avaliação dessa questão deve ser efetuada sempre se considerando dois aspectos – ou, se preferir, dois “pontos de vista”: 

– O aspecto objetivo (matemática financeira pura): a taxa de juros efetiva que estaria sendo assumida pelo comprador no pagamento parcelado via cartão de crédito; e,

– O aspecto subjetivo (matemática financeira segundo a situação no bolso do comprador): a estrutura de capital de giro (ou, mais simploriamente, dinheiro disponível) para fazer face aos demais gastos do comprador.

Ilustrativamente, imagine que o produto em questão está sendo oferecido ao preço de R$ 1.000,00.

Ou seja:

– Pagamento à vista, com 10% de desconto: R$ 900,00 (R$ 1.000,00 (-) R$ 100,00);

– Pagamento parcelado via cartão de crédito: R$ 1.000,00 (12 parcelas de R$ 83,33).

Cenários:

– Objetivo: pagar em 12 parcelas no cartão de crédito em vez de pagar à vista, significa incorrer numa taxa de juros mensal de 1,66% ao mês; ou seja, como não há, para as pessoas em geral, possibilidade de aplicações financeiras com essa remuneração (a poupança, por exemplo, não está oferecendo como remuneração mensal nem sequer um terço disso…) pagar à vista com desconto de 10% representa a melhor opção.

– Subjetivo: se a pessoa optar por pagar à vista, mas não tiver esses recursos disponíveis, pois não possui dinheiro aplicado, ela terá de recorrer a cheque especial ou crédito rotativo de cartão de crédito, ou outras fontes de financiamento afins – só que esses mecanismos de financiamento representam o que de mais “escorchante” existe em termos de financiamento pessoal no Brasil, pois essas taxas, ainda nestes dias de economia estabilizada, encontram-se em torno de 10% (veja bem, eu disse “10%”…) ao mês., ou seja, muito superiores aos 1,66% ao mês cobrados no pagamento parcelado em 12 vezes via cartão de crédito.

Conclusão:

Se você tiver dinheiro aplicado que possa ser usado de imediato, não hesite:

– Pague à vista, com desconto de 10%

Se você não tiver recursos disponíveis e tiver de recorrer ao cheque especial, cartão de crédito rotativo ou outras formas de financiamento eventual, nesse caso a regra é clara:

– Parcele em 12 vezes, no cartão de crédito – vai ficar “barato pra caramba…”

As conclusões acima descritas restringem-se única e exclusivamente aos fatores mencionados, quais sejam: pagar à vista com desconto de 10% sobre o preço anunciado; ou pagar com cartão de crédito o preço anunciado em 12 parcelas mensais consecutivas, sem juros. Para análises específicas de outras situações, entre em contato.

***

“Banco é o lugar que você pode obter dinheiro emprestado, se provar que não precisa dele.” (Bob Hope)