INTELIGÊNCIA

Inteligência:

– Quantas pessoas você conseguiu enganar hoje?

Infelizmente, estamos passando por um processo de desconstrução moral ímpar na história deste país.

Onde tudo o que foi construído com muito esforço, dedicação e sacrifício pelo povo ao longo das últimas décadas vai, paulatina e intencionalmente, sendo reduzido a pó.

Por conta da incapacidade técnica daqueles que deveriam justamente desempenhar o papel de guardiões da ordem institucional da pátria.

Como é que um país pode ser considerado minimamente sério, quando suas principais lideranças assumem posturas de completo desequilíbrio mental?

Alguém acha que isso passa incólume ao redor do planeta?

Quanta ingenuidade!

Isso sim seria abusar da inteligência dos outros:

– Alemães;

– Italianos;

– Japoneses;

– Franceses;

– Canadenses;

– Estadunidenses (vulgo “americanos”)…

E por que isso está ocorrendo? Por conta do menosprezo que o poder constituído faz de nossa capacidade de discernimento, de nossa capacidade de reflexão, de nossa capacidade de interpretarmos o que ocorre ao nosso redor!

Segundo esse poder constituído, somos todos inaptos! Somos todos palermas! Na realidade, segundo eles, somos todos… “Inútil”!

Por sermos, segundo a crença deles, incapazes de avaliarmos o que quer que seja: não só o certo ou o errado, mas qualquer coisa que ocorra ao nosso redor!

Inteligência não tem necessariamente a ver com honestidade.

E é justamente esse o ponto em questão!

O maior problema da inteligência é quando ela é utilizada por pessoas que não possuem qualquer conceito de moral, de ética e principalmente de princípios:

– Posturas bizarras…

– Comportamentos pueris…

– Raciocínios desconexos…

Fazer uso do exercício de um cargo público apenas para tentar impor idéias e auferir benefícios em prol de si mesmo, ou de quem lhe interessa, não é socialismo – muito menos neoliberalismo!

É ignorância selvagem! Justamente aquela que as esquerdas mais radicais sempre consideraram como o mais torpe no capitalismo!

Inteligência na cabeça de desonestos dá nisso: menosprezo pela inteligência dos outros!

Mas a vontade de crescer pode tirar qualquer pessoa de seu estado de ignorância.

A inteligência pode até ser apenas um farol que nos guia.

Mas é o farol que nos permite avançar em direção ao porto em que queremos chegar.

E que nos fará aportar com segurança!

Para continuarmos nossa busca ao próximo porto, e ao próximo, e ao próximo…

Até que um dia, somente com base em nossa inteligência, a gente não precise mais de qualquer porto!

Por conta de finalmente não precisarmos de algo que não seja tão “inútil”!

A principal qualidade de um barco consiste em navegar!

Não em atracar…

***

“A inteligência é quase inútil para quem não tem outras qualidades”. (Alexis Carrel)