FAMÍLIA

Família:

– Papai, mamãe, vovó, titia…

Família representa a mais pura manifestação de como o passado continua vivo no presente.

Em priscas Eras, quando a capacidade de comunicação do ser humano não se diferenciava muito de qualquer outro animal e até mesmo de um vegetal ou mineral qual era a alternativa então?

Procurar por aqueles que representassem seus pares, seus similares, ou quem quer que seja que fossem considerados pelo menos parecidos, para simplesmente tentar viabilizar pela soma de seus esforços sua sobrevivência comum – genuinamente um instinto.

Família representa o mais profundo conceito criado pelo ser humano ao longo do processo de sua evolução histórica, justamente por conta de sua necessidade em procurar ter a seu lado pessoas em quem pudesse confiar, numa época em que era praticamente impossível saber em quem confiar quando esse alguém estivesse:

– Com fome;

– Com sede;

– Com doença;

– Com medo;

– Com depressão;

– Com insônia;

– Em guerra;

– Na ingratidão;

– Na ignorância;

– Na depressão;

– Na m…

Só que parece que alguma coisa aconteceu – o mundo ficou assim, meio que diferente.

Todas as dificuldades ancestrais foram deixadas de lado.

Não por ação; simplesmente por esquecimento.

E tudo o que até então era genuíno se tornou simplesmente midiático; coisas tão simples quanto:

– Um beijo;

– Um abraço;

– Um aperto de mãos…

Um irmão que não beija o irmão por desavenças na infância, por um sentimento de inferioridade na adolescência ou por sua incapacidade de percepção na maturidade do contexto em que a vida rola, se tornou um ícone de manifestação da personalidade preconizada pela sociedade midiática – a personalidade do EU.

Ainda que na prática isso nada mais seja do que uma manifestação de fraqueza, de alguém que não sabe o que significa família, e segue em frente: firme, direto e convicto, como se fosse possível voltar para a lata da pré-história e tentar reescrevê-la – pois foi lá onde tudo começou…

Por conta do EU, esqueceram do NÓS!

Mas independentemente disso não há nada mais inerente ao ser humano do que continuar procurando por seus pares seja hoje tanto quando na pré-história – e ele os encontrará, onde quer que seja.

Nossos pares são nossa verdadeira família – pessoas que antes de nos culpar por nossos erros, procuram entendê-los.

Nem que seja para nos beijar, abraçar, apertar nossa mão e dizer:

– Feliz aniversário – envelhecemos só na idade!

E continuar a nos beijar, abraçar, e apertar nossa mão…

***

“Você não escolhe sua família. Eles são um presente de DEUS para você, assim como você é para eles.” (Desmond Tutu)

 

Comentários: