CONTINGÊNCIA

Contingência:

– Um risco de perda que nem sempre se sabe porque começou – e muitas vezes quando vai terminar…

Contingência tem a ver no presente com um passado mal resolvido.

Quando por alguma razão uma situação não foi suficientemente enfrentada de maneira condizente – qual seja, por meio de decisões e atitudes (nessa ordem) que procurassem efetivamente resolvê-la.

Ou seja, contingência sempre tem a ver com uma ou mais das seguintes posturas:

– Negligência;

– Imprudência;

– Imperícia.

Termos que à primeira vista podem parecer um tanto quanto que sofisticados do ponto de vista do leigo.

E que por isso mesmo procurarei traduzi-los segundo a sabedora popular.

Contingência tem a ver com a falta de:

– Cuidado;

– Atenção;

– Conhecimento…

contingência tem a ver com omissão.

Aquela que ocorre com as pessoas quando no exercício de suas atribuições diárias, quer seja em família, com os amigos, no trabalho…

Enfim, na vida de maneira geral!

Por exemplo, quando uma empresa é autuada por uma fiscalização por conta de um imposto não recolhido.

Se a empresa reconhece essa falta de pagamento então, ok!

Ela paga sem contestar essa autuação, assumindo todos os efeitos acessórios decorrentes:

– Principal;

– Multa;

– Juros;

– E o que quer mais que a esse erro seja aplicável.

Mas e se ela se recusar a reconhecer que esse imposto era realmente devido?

A alternativa se resume a contestar na Justiça a cobrança feita pelo Fisco.

E o que significa isso?

Que a situação fugiu ao controle dessa empresa.

Que ela não possui mais a condição de fazer ou deixar de fazer, pois será a Justiça a entidade designada a decidir sobre se afinal o imposto é devido ou não.

Claro que existe aquela situação em que um imposto não foi pago simplesmente por conta de alguém ou alguma empresa não querer pagá-lo.

Nesse caso, não temos contingência – temos apenas um crime tributário, em que o desfecho é mais do que previsível.

Em resumo, contingência tem a ver com tudo aquilo que possa trazer perda a alguém (ou alguma empresa), sem que ele tenham condições de controlar os fatores que influenciarão seu desfecho.

Afinal, o que significa tudo isso no dia a dia das pessoas, das empresas, da sociedade?

Tudo o que se faz na vida pode gerar uma contingência.

Se é assim, como então evitá-la?

***

“Se você faz o melhor que você pode, o futuro se cuida por si.” (George Mitchell)

 

Comentários: