COITADISMO

Coitadismo:

– Estado de quem se considera como não sendo responsável pelas condições em que se encontra na vida em termos pessoais, familiares, sociais ou profissionais, mas sim alguém vítima das circunstâncias, e que por conta disso seria merecedor de compensações pela sociedade como um todo.

Enfim, quem exerce o coitadismo o que assume ser?

Um coitado – que em última análise significa alguém que foi violentado!

E que por conta de ter sido violentado não deveria ser responsabilizado, mas sim indenizado:

– Pelo governo;

– Pela sociedade;

– Pelos amigos;

– Pela família;

– Por DEUS…

O coitadismo não reconhece nada que não seja a vitimização de quem o assume – apenas sua necessidade de ser protegido.

Só que quando alguém assume o coitadismo (ser um coitado…) acaba por esquecer a condição básica de qualquer julgamento de valor:

– Quando temos uma vítima, é necessário indicar seu algoz.

E quem seria o algoz no processo de vitimização de alguém que assume o coitadismo?

A quem ele deveria recorrer pedindo indenização pelos transtornos supostamente causados a ele?

– Ao governo?

– À sociedade?

– À família?

– Aos amigos?

– A DEUS?

Responsabilizar a DEUS não implica em indenização concreta – a menos que essa pessoa acredite em vida após a morte.

Responsabilizar os amigos não implica em indenização imediata – a menos que essa pessoa os reconheça como dignos de serem mais bem sucedidos do que ele próprio.

Responsabilizar a família não implica em indenização coerente – afinal, fosse ela detentora de posses suficientes para arcar com esse ônus, essa pessoa jamais teria recorrido à extrema humilhação de assumir a doutrina do coitadismo.

E responsabilizar a sociedade?

Essa sim!

É o grande acerto de quem se assume como seguidor dessa doutrina.

Afinal, nada melhor do que jogar a culpa por seus fracassos na vida em algo que não pode se defender.

Pois se há algo ou alguém que se apresente absolutamente frágil e indefeso nesse contexto é a sociedade.

Que é obrigada a conviver e assumir ônus que ela nem sequer sabe do que se tratam.

A sociedade não possui mecanismos de depuração.

Apenas de comoção.

E a maioria dos que fazem parte dela por assumir uma postura de comoção com a situação de qualquer coitado.

Pois isso é inerente ao ser humano.

Sabe por quê?

Por conta de nossa autoconsciência:

– Não sabemos de onde viemos;

– Não sabemos o que estamos fazendo aqui;

– Não sabemos para onde vamos….

Por conta disso, onde acaba tudo isso?

Na inevitável falta da liderança?

Não sei se você percebeu mas nas citações acima faltou eu mencionar quando eles procuram responsabilizar o governo…

***

“Existem dois tipos de perdedores: o bom perdedor e o que não sabe fingir.” (Laurence J. Peter)

 

Comentários: