DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Demonstrações Contábeis representam resumos dos registros das operações de uma empresa.

Esses resumos são elaborados visando a facilitar aos eventuais interessados no desempenho de uma empresa o entendimento sobre suas operações.

Interessados esses que podem ser:

– Sócios;

– Acionistas;

– Investidores;

– Bancos;

– Clientes;

– Fornecedores;

– Fisco…

Por que demonstrações contábeis são necessárias?

Imagine uma empresa, por mais simples que sejam suas operações.

Um mercado de periferia, só como exemplo.

Basicamente, as operações de um mercado são bastante simples:

– Compras de fornecedores;

– Vendas a clientes.

E, lógico, todas as demais operações inerentes a qualquer atividade empresarial, a que qualquer empresa, independentemente de seu setor de atuação, estará sujeita:

– Pagamentos de funcionários;

– Pagamentos de tributos;

– Aplicações financeiras;

– E diversas outras operações – operacionais e não operacionais…

Considerando-se fundamentalmente as operações básicas de um mercado, é fácil visualizar que o que ele faz, e mais faz, é comprar e vender mercadorias.

Agora imagine que, ao longo de um determinado período, tanto as compras como, principalmente, as vendas ocorrem diariamente, de forma rotineira.

Quantas compras um mercado faz durante um determinado período – digamos, um mês: dezenas? Centenas? Milhares?

E operações de vendas, então?

Daí a conveniência de se apresentar um “resumo” das operações, em vez de se saturar o eventual interessado no acompanhamento do negócio com dados, dados, dados… E mais dados!

Em síntese, uma demonstração contábil representa a totalização das operações, de maneira sistemática e regular, para informar de forma sumarizada:

– Quanto foram as vendas totais (Receita Bruta);

– Quanto foram os impostos incidentes sobre essas vendas (Deduções de Vendas);

– Quanto dessas vendas ainda não foi pago pelos clientes (Contas a Receber);

– Quanto a empresa deve por compra de mercadorias (Fornecedores).

Basicamente, as demonstrações contábeis compreendem 5 itens:

– Balanço Patrimonial;

– Demonstração de resultado;

– Demonstração das mutações do patrimônio Líquido;

– Demonstração das origens e aplicações de recursos (modernamente substituída pela “demonstração de fluxo de caixa”);

– Notas explicativas.

Os 5 itens citados representam os componentes básicos de quaisquer demonstrações contábeis, mas não implicam em um fator limitante quanto à disposição de qualquer empresa em divulgar outras demonstrações que tenham como fonte sua escrituração contábil.

Só que, cá entre nós… As demonstrações contábeis usualmente divulgadas pelas empresas são aquelas tacitamente exigidas pela legislação societária a que estejam sujeitas:

– CVM;

– Lei das Sociedades Anônimas;

– Sociedades Limitadas;

– Banco Central;

E nem uma “palhinha” a mais…

Por quê?

Porque o raciocínio da maioria das empresas é bastante simples:

– Por que é que minha empresa vai divulgar mais informações ao mercado do que o requerido pela legislação, já que a maioria de meus concorrentes não divulga?

Bem…

***

“Não esqueça que só peixe morto nada com a corrente.” (Malcom Muggeridge)