PUBLICIDADE: MAD MEN

Mad Men representa um dos mais didáticos seriados de TV já produzidos na história.

E justamente por ser tão didático, muitas vezes é considerado (por pseudo-intelectuais) como sendo monótono, enfadonho, tedioso e… Prolixo!

Igualzinho ao que atualmente nos cansamos de ouvir de alunos dizendo de seus professores – e de suas escolas.

Mad Men tem seus episódios versando basicamente sobre o ambiente não só corporativo, mas também social e político em que foram formados grandes líderes empresarias e executivos de sucesso na história recente da sociedade.

O cenário, obviamente, são os Estados Unidos da América – especificamente na década de 60.

Apesar de toda a trama do seriado girar em torno do cotidiano de uma agência de publicidade, não se iluda.

As figuras do herói, do vilão, da mentira, da bebida, do cigarro, do adultério – tão presentes nas estórias – são pertinentes à maioria das empresas, independentemente de sua atividade fim.

Algumas não tão comuns nos dias de hoje, como o cigarro e a bebida.

Fazer o quê? Acabaram com o prazer…

Restou apenas a parte chata, pois previsível, das tramas empresariais:

– O herói, o vilão, a mentira, o adultério…

Mad Men é um seriado que merece ser visto:

– Diálogos conexos;

– Figurinos pertinentes;

– Situações verossímeis…

Verdadeiras pérolas do dia a dia da vida corporativa são apresentados em cada um de seus episódios.

Por exemplo, no 4 º episódio da 2ª temporada, intitulado Três Domingos (Three Sundays), houve uma cena que considero como sendo uma das mais antológicas da arte de representar o mundo empresarial:

– Toda a equipe da empresa de publicidade (Sterling & Coopers) perfilada por detrás do big boss, para recepcionar os executivos da American Airlines para uma reuninão de apresentação de proposta de prestação de serviços – isso dentro da própria sala do big boss, usualmente inacessível para a maioria dos funcionários lá perfilados.

Cena profunda, que só quem tem ou teve a oportunidade trabalhar em empresas de prestação de serviços pode avaliar o real sentido da situação.

Afinal, como ter idéia da frustração de todos aqueles profissionais (que sacrificaram seu fim de semana de folga para preparar o material necessário para a apresentação) quando são informados de que a pessoa que seria o contato chave para avaliação da proposta a ser apresentada à American Airlines, simplesmente…

Bem, assista o espisódio.

O ritmo de Mad Men é monótono?

Tedioso?

Cansativo?

Prolixo?

Talvez; e talvez seja também por isso que Mad Men seja tão didático.

Por que na vida não existe essa de querer ganhar o campeonato num só jogo…

A vida é um jogo de pontos corridos, em que todos jogam contra todos, e uma vitória num jogo contra quem quer que seja pode não representar qualquer garantia do título do campeonato.

Mas uma derrota para o adversário errado pode sim sepultar o sonho do título da felicidade.

***

“É o que pensamos que sabemos que nos impede de aprender.” (Claude Bernard)

 

Comentários: