JOELMIR BETING

Joelmir Beting, por… Joelmir Beting.

O primeiro jornalista no Brasil a atuar numa área tão áspera para a maioria da população a sair do anonimato.

A área da economia – a dita “ciência da escassez”…

Uma área em que o conhecimento do cidadão médio sobre seus princípios é tão familiar quanto a física nuclear…

Joelmir Beting foi capaz de estabelecer em torno de seu nome uma marca.

A marca da simplificação.

Ao comentar os principais fatos econômicos do dia, tinha a capacidade de traduzi-los de tal maneira que, mesmo quem não tivesse uma familiaridade mediana sobre o assunto, era capaz de abstrair nem sempre as causas…

Mas quase sempre as consequências.

E não era por acaso.

Joelmir Beting era um grande cultor de frases.

Um “frasista”.

Detentor de muita perspicácia, era capaz de ir direto ao ponto.

E transmitir o que efetivamente queria dizer.

Em uma frase – uma única frase!

E em cada uma de suas “únicas frases” levar seus leitores, ouvintes e telespectadores ao entendimento de um conceito, de uma idéia, de um pensamento.

Sem se perder em divagações…

E, ao mesmo tempo, sem perder a emoção.

Um legado importante de sua vida.

Quem foi Joelmir Beting?

Deixemos a definição de Joelmir Beting por conta de… Joelmir Beting!

Em dez frases:

1. “A natureza não se defende; ela se vinga.”

2. “Se não podemos melhorar o que causa a febre, pelo menos temos de melhorar a qualidade do termômetro.”

3. “Modernizar não é sofisticar. Modernizar é simplificar.”

4. “Você só consegue explicar aquilo que entendeu.”

5. “Não há soluções políticas para problemas econômicos.”

6. “Em economia, é fácil explicar o passado. Mais fácil ainda é predizer o futuro. Difícil é entender o presente.”

7. “Metade da humanidade passa fome. A outra metade faz regime.”

8. “Quem não deve não tem.”

9. “Quando os preços sobem é inflação; quando descem é promoção.”

10. “Explicar a emoção de ser palmeirense a um palmeirense é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense é simplesmente… Impossível!”

E agora minha frase para tentar definir Joelmir Beting, que não poderia ser outra:

– 

***

“Senso comum em um grau incomum é o que o mundo chama de sabedoria.” (Samuel Taylor Coleridge)

 

Comentários: