HONESTIDADE

Honestidade: aquilo que se faz quando ninguém está olhando.

Praticar a honestidade no dia a dia nunca foi fácil na vida de qualquer pessoa; afinal, quem é que não gostaria de usufruir todas as benesses que o mundo pode dar a quem se dispõe a não ser honesto?

Coisas do tipo:

– Mansão;

– Carrão;

– Posição;

– Consagração…

Para obtê-las, basta apenas agir de forma dissimulada…

Hipócrita…

Enfim…

Pueril.

Abrindo mão de assumir suas responsabilidades…

Seus ideais…

Seus princípios…

Para quem não tem honestidade, esses comportamentos não representam um problema.

Mas, quando se tem a honestidade como princípio, fica tudo mais difícil…

Pois tudo o que fazemos na vida depende diretamente de nossos princípios.

E praticar a honestidade não está fácil nos dias de hoje.

Mas também nunca foi fácil nos dias de ontem.

E continuará sendo difícil nos dias que se seguem.

Independentemente disso, ou de qualquer outra coisa que se pense, nem sempre o importante na vida será se dar bem em tudo.

Até porque, às vezes, o que parece ser uma vantagem num primeiro momento acaba por se apresentar como uma simples manifestação de puro oportunismo.

E demonstrar oportunismo, nos dias atuais, também não parece ser uma boa estratégia.

Pois ser oportunista revela uma disposição ao engodo – à enrolação.

À tudo o que as pessoas mais têm ojeriza.

Honestidade exige esforço…

Disciplina…

Dedicação…

Mas faz com que, no mínimo, quem se predisponha a praticá-la tenha a recompensa definitiva em sua parca e efêmera existência sobre a face da Terra:

– O de poder falar sem alucinações sobre o que as pessoas vão pensar…

– O de poder ouvir sem alucinações sobre o que as pessoas vão dizer…

– O de poder olhar sem alucinações sobre o que as pessoas vão mostrar…

– O de poder sentir sem alucinações sobre o que as pessoas pensar…

– O de poder pensar sem alucinações sobre o que as pessoas vão sentir…

E, ao fim e ao cabo, poder usufruir a maior de todas as dádivas da vida de um ser humano:

– Poder recostar em seu travesseiro ao final de um dia e, ato contínuo ao se deitar, dormir profunda e gloriosamente um sono bom…

Quem possui a honestidade como princípio de vida não sente o árduo trabalho da semeadura – mas sim na satisfação dos frutos que vai colher na vida!

Sem medo de qualquer alucinação durante seus sonhos…

***

“Foi meu pai quem me ensinou o valor da honestidade. Tudo o que não tenho devo a ele.” (Ciro Pelicano)