EXPECTATIVA

Expectativa:

– Na vida todos temos – o que muitos não têm é paciência.

Expectativa?

Paciência…

Expectativa?

Paciência…

Expectativa?

Paciência…

Cansou?

Paciência…

***

Depois de seis meses desempregado, centenas de currículos enviados e dezenas de entrevistas e dinâmicas de grupo, ele pensava que finalmente aquele seria o dia da redenção de todo esse processo – e principalmente, a coroação de suas expectativas para o futuro!

Por isso ele aguardava ansiosamente o toque do telefone, alternando seu humor entre euforia e depressão…

Mas, a certa altura, a euforia se fez!

Pois tocou o telefone…

Quem sabe para finalmente coroar suas expectativas…

–  Alô?

Pô, Zé Mané! Ainda não recebi os novos prospectos!

Zé Mané?

E você não disse que… Ôpsss!

Ahn… Não há nenhum Zé Mané neste número…

Tum… Tum… Tum…

E ele pensou:

– Tudo bem, todo mundo disca um número errado de vez em quando…

Dez minutos depois…

Alô?

Oi, Marta! Cadê o relatório que você disse que ia me entregar até às 5h00?

Marta?

Ah… Não adianta disfarçar com essa voz grossa – até porque, não tá tão convincente assim…

Escuta… Que história é essa?

Agora você foi fundo…

Fundo?

Ôps!

Para que número você ligou?

Tum… Tum… Tum…

E aí então, ele repensou;

– Só que receber duas ligações erradas em menos de quinze minutos quebra qualquer expectativa…

Cinco minutos depois…

Alô?

Chama o Rafael, rápido!

Rafael?

Ô, Clóvis, anda logo… Tô com todo o material para descarregar na calçada do freguês, só que ele diz ue não quer receber porque teve alguma coisa errada – ele não pediu alguma coisa do material, cê acha? Vai logo!

Eu não sou o Clóvis…

Ô, Jarbas, não tinha reconhecido tua voz…

Jarbas?

Deixa de onda… Chama o Rafael!

Que onda? Eu não sou o Clóvis, eu não sou o Jarbas…

Não? Quem é você então? Quando entrou na firma?

Firma? Que Firma?

Pô, cê não tá falando da loja?

Loja? Para que número você ligou?

Eu liguei para o… Ih… Foi mal…

Tum… Tum… Tum…

A essa altura, ele já não raciocinava mais – nem em suas expectativas…

Dois minutos depois…

Toca o telefone.

E ele surtou:

– Ah, não! Vai pro inferno! Como é que pode? Quem é que aguenta isso? Quer saber? Aqui, ó…

Colocou o telefone no modo de “espera”, e o deixou em cima da mesa:

– Seis horas? Vou é ao shopping, assistir a um filme!

E saiu.

Enquanto isso, do outro lado da linha…

Senhor Aurélio?

– 

O senhor está me ouvindo?

É a Marta… Estou ligando em nome do senhor José Manuel, presidente da empresa, que fez uma entrevista com o senhor ontem… O senhor foi aprovado no processo de seleção, pois atendeu todas as expectativas de nosso presidente – mas ele precisa vê-lo amanhã, sem falta, às 8h00, pois ele tem um vôo internacional marcado para o meio-dia, e ele precisa de sua confirmação agora, pois tem de fechar a contratação antes de sua viagem de um mês ao exterior…

Alô?

Alô??

Alô???

O senhor está me ouvindo?

***

“Seja o que for que você espere, será diferente.” (Buda)

 

Comentários: