ESPÍRITO

Espírito?

Uma entidade supostamente vinda do além…

Da evidente e limitada capacidade do ser humano de entender a realidade, incluindo a interpretação da realidade que o cerca em seu dia a dia, mas que inevitavelmente sempre vai procurar entrar em contato com quem quer que seja – nem que seja com ele próprio, ou com seus próprios fantasmas….

***

Depois de um dia cheio…

Um dia daqueles…

De muito trabalho…

De muito esforço…

De muita dedicação…

De muito espírito de luta…

Mas desapontado com a frustração causada pelo tão esperado reconhecimento, que nunca vinha…

E o fato é que ele já não estava em condições de se dispor a procurar entender as agruras da vida como algo que pudesse ser inerente a sua própria existência…

– Não acredito em bruxas!

– …

– Muito menos em espíritos!!!

– …

– Ah, qualé…

– …

– Essa história de sobrenatural…

– …

– Espíritos…

– …

– Espírito para mim é só uma invenção…

– …

– Uma invenção criada pela imaginação das pessoas…

– …

– Por quem não tem força de vontade…

– …

– Por quem não tem um espirito vencedor…

– …

– Isso mesmo…

– …

– Por quem não possui um espírito vencedor!

 

– …

– Pessoas que ficam tentando justificar sua incapacidade…

– …

– Sem assumir sua responsabilidade…

– …

– De seus atos…

– …

– De suas atitudes…

– …

– Perante a própria vida…

– …

– Ou seja, perante si mesmas…

– …

– Pessoas que tentam atribuir sua incapacidade em lidar com o mundo real alegando interferências do além…”

– …

– Espíritos…

– …

– São uma invenção…

– …

– Uma invenção do ser humano…

– …

– Para tentar justificar sua incapacidade…

– …

– Sua incapacidade em resolver seus problemas…

– …

– Uma coisa criada pela mente humana…

– …

– Para tentar justificar sua incompetência…

– …

– Em assumir suas responsabilidades por seus atos…

– …

– Por suas atitudes…

– …

– Por seus pensamentos…

– …

– Acreditar na existência de espíritos é isso…

– …

– Assumir sua incompetência em administrar a própria existência…

– …

– E a motivação, não conta nada?

– …

– E tem outra coisa…

– …

– Por exemplo…

– …

– Quando a gente conversa…

– …

– Você não olha nos meus olhos…

– …

– Parece estar sempre conversando com outro alguém…

– …

– Aliás, parece não estar conversando com ninguém…

– …

– Sem qualquer respeito pessoal…

– …

– Parecendo que não está nem aí com o que se fez…

– …

– O que se faz…

– …

– O que se fará…

–  …

– Entendeu?

– …

– Não entendeu…?

– …

– Ah, não foi você quem não entendeu…

– …

– Fui eu que não entendi…?

– …

– Ah, sim…

– …

– Você está dizendo…

– …

– Fui eu que não entendi…

– …

– Não entendi o quê…?

– …

– Afinal, o que eu não entendi…?

– …

– “Eu sei o que você no verão passado…” ?

– …

– Ora, seu…

– …

– Seu…

– …

– Espelho imbecil!

– …

***

“Não acredito em bruxas; mas que elas existem, elas existem.” (Miguel de Cervantes)