ELE SEMPRE SOUBE QUE A VIDA ERA…

Ele sempre soube que a vida era um teatro! Só nunca entendeu direito o papel que lhe deram nesse peça…

***

– Ah…

Pensava ele:

– Ainda falta fazer a declaração de imposto de renda deste ano…

– Falta encontrar uma nova diarista pra casa…

– Falta pagar a parcela do financiamento da casa deste mês…

– E pagar a parcela do financiamento do carro do mês anterior…

– Mas finalmente a sexta-feira chegou…

Mas…

– Ainda tenho de continuar no batente!

Ele acabou de chegar no escritório, depois de atravessar o caos, que é a definição mais apropriada para o trânsito da cidade.

Não deu tempo de fazer um café da manhã decente, pois acordou atrasado – a palestra da noite anterior acabou muito mais tarde do que ele imaginava, ele foi dormir mais tarde que de costume, e ainda por cima teimou em dar uma zapeda na TV antes de se deitar, meio que como um subterfúgio para se desligar.

Também teve dificuldades em dormir logo, pois as pendências levantadas pelo Diretor Financeiro sobre a forma de apresentação de seu último relatório ofuscaram a essência do que ele produziu, e a voz desse diretor permaneceu ecoando pelo restante da noite em seus ouvidos.

Principalmente pelo fato desse Diretor Financeiro ter sugerido, aproveitando a ocasião, que talvez as férias dele deveriam ser adiadas, em função da visita do Diretor Regional para a América Latina – o Diretor para a América Latina sempre aproveita o inverno em Miami para se atualizar pessoalmente sobre o que acontece nas unidades localizadas abaixo do Rio Grande.

Por ele até que tudo bem (fazer o quê?), mas…

Será que essa viagem do Diretor Regional para a América Latina tem a ver com os boatos de venda da subsidiária brasileira?

Se for assim, será que não já não teria passado da hora de começar a, discretamente, atualizar e repassar o currículo?

Atualizar até que tudo bem, mas… Repassar para quem?

Há anos que ele não tem contato com quem quer que seja fora da empresa onde trabalha; e se ele tiver de procurar um novo emprego agora?

Como explicar à esposa que a viagem de férias da família teria de ser novamente adiada?

No ano anterior ela até que não reclamou muito, pois o cancelamento da viagem coincidiu com o fato da sogra dele passar a morar com eles, depois da viuvez, mas agora que seu cunhado, recém-separado, passou a morar também com eles (esse foi um pedido de sua esposa na noite do último aniversário de casamento, depois que ele se esqueceu da data…), ela acha que sua sogra estará bem assessorada em casa.

Sem falar que as crianças contam nos dedos os dias que faltam para finalmente conhecer a Disney – quem mandou ele dar a notícia logo que comprou o pacote?

Deveria ter esperado, pelo menos, quitar a primeira das dez parcelas e, aí sim, dar a notícia.

Principalmente depois que o Diretor de RH cobrou-lhe diretamente as avaliações de desempenho de pessoal pendentes – ele ainda não entregou uma única avaliação sua sobre seus subordinados.

Foram só três viagens – Manaus… Nova Iorque… Xangai…

Não importa que o prazo estabelecido pela empresa para apresentação dos relatórios de reembolso de despesas de viagens seja de uma semana após o retorno da viagem – ele tem certeza que sua dedicação será considerada no momento em que apresentá-las, já que sua última viagem já foi há três semanas.

Ele só não tem certeza do por que de sua esposa não reclamar mais de sua ausência no dia a dia do lar.

Talvez tenha a ver com o novo salão de cabeleireiros que ela descobriu – e começou a freqüentar com assiduidade quase que diária.

Mas isso não importava – já que ela mesma já tinha lhe dito que lá só tinha gays.

Enfim, o importante é que sua carreira seguia em frente – só que sua vida, de vento em proa…

***

“O acaso vai me proteger… Enquanto eu andar distraído…” (Titãs)