CRIMINALIZAR POLÍTICA: SERIA UM PASSO PARA A DITADURA?

Política:

– Uma peça de teatro em que há dois tipos de atores:

(1) Aqueles que querem entrar; e,

(2) Aqueles que não querem sair de cena…

Rede Brasil Atual – O novo presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius Furtado Coêlho, afirmou hoje (1º) que a criminalização da atividade política, além de grave, é o que dá início a qualquer debate autoritário. “Não há democracia sem política”, disse. “Todas as ditaduras são instaladas a partir da criminalização da atividade política. Os maus feitos deverão ser denunciados por esta instituição (OAB), mas sem jamais generalizar a crítica ao Congresso Nacional”, afirmou em seu discurso de posse, na sede do conselho, em Brasília.

DITADURA?

Foi isso o que ele realmente disse, ou o que ele quis dizer?

Ou seja, na opinião do novo presidente da OAB, o que quer que se faça em nome da política não pode ser considerado, ainda que ética, moral e socialmente inadequado, um CRIME…

Sinceramente:

– Alguém que tenha de conviver no dia a dia com todas as dificuldades que cercam o cotidiano da vida uma pessoa de bem poderia achar que CRIMINALIZAR A POLÍTICA SERIA UM PASSO PARA A DITADURA?

– Não cruze o sinal vermelho durante uma tentativa de assalto, senão…

– Não sonegue seu imposto de renda mesmo não tendo renda, senão…

– Não fume em área de serviços públicos mesmo a céu aberto, senão…

– Não dirija depois de beber mesmo por conta de uma emergência, senão…

– Não… Senão…

Graças a DEUS hoje, no Brasil, vivemos uma democracia, onde todos podemos exercer, sem quaisquer constrangimentos, nossa liberdade de opinião.

E, muito mais que liberdade de opinião, nossa liberdade de raciocínio.

Afinal, como todos nós sabemos, nosso País é uma autêntica democracia e, como tal, está absolutamente imune a quaisquer lampejos de intromissão ou coerção exacerbada sobre a vida privada de quaisquer de seus cidadãos…

Sem quaisquer chances mínimas de atropelo das liberdades fundamentais de qualquer um deles…

Sem expô-los a quaisquer situações vexatórias, humilhantes ou simplesmente de baixaria, tais quais como aquelas que se via tanto na época da DITADURA…

Como nas BLITZ dos áureos tempos da ROTA em São Paulo…

Graça a DEUS, não se vê mais isso hoje em dia… Certo (sic…?)?

E lembre-se:

– A nova lei seca estabeleceu nenhuma tolerância para a ingestão de álcool – inclusive aquele proveniente de um bombom com licor! Caso você incorra nesse procedimento de acintosa desobediência civil de consumo de bebidas alcoólicas (sic!), esteja certo de que responderá criminalmente por seus atos!

Já imaginou quais seriam os resultados da aplicação do mesmo critério de tolerância zero no exercício da política?

Para tentar evitar qualquer frenesi por conta de todo o entorno que nos assola, fica aqui o alerta:

– Se for dirigir não beba, não coma bombons com licor e muito menos filé ao molho madeira.

Mas ao mesmo tempo, e acima de tudo, jamais perca de vista um dos  conceitos básicos de exercício da cidadania:

– Quando alguém não consegue nem entender a ditadura do grito, como poderá se defender da ditadura do silêncio?

***

“Política: a arte de fazer aos outros o que não queremos que nos façam.” (Emile Bergerat)