CLIENTE

Cliente não compra produtos: compra sonhos.

Quem é que sabe o que pensa um cliente? Um bom comerciante sabe o que pensa um cliente.

Um dos principais motivos pelos quais muitas pessoas fracassam em suas empreitadas nos negócios é simplesmente pelo fato de essas pessoas não terem tino suficiente para… Negócios!

Que é quando elas não entendem que, para voar, é preciso…

Decolar!

E nem sempre decolar significa uma boa opção.

Tino para negócios não significa somente ter o conhecimento técnico necessário sobre um produto ou serviço que um empreendedor se dispõe a vender; claro que esse conhecimento é importante – só não é o suficiente, nem nunca será, pois o tino para negócios representa muito mais.

Ter tino para negócios significa estar atento às demandas de seu cliente, quem quer que seja ele: um cliente efetivo ou potencial.

Seu “público alvo”! E quem é o público alvo de um empreendedor, em qualquer negócio?

Qualquer um que se apresente como cliente…

E esteja disposto a pagar por aquilo que você tem para vender.

Saber quem ele é, o que esse seu cliente procura, e buscar satisfazer suas expectativas é a chave de qualquer negócio.

Não adianta estabelecer uma linha de produção, como na indústria automobilística e, a partir daí, querer que o cliente se sujeite a uma situação como esta:

– O cliente pode ter o carro da cor que quiser, contanto que seja preto.

Nem Henry Ford conseguiu isso…

Não adianta tentar impor ao cliente uma venda em que ele não concorda com sua compra; não adianta uma postura de arrogância; muito menos de indiferença…

Numa economia de mercado, o cliente é soberano: é ele quem manda.

É ele quem estabelece o que é importante – e ele será sempre a última palavra em termos de sucesso de um negócio.

Qualquer que seja o negócio.

E, cá entre nós, mesmo quando uma economia não é de mercado não há alternativa:

– Houvesse alternativa, a URSS ainda existiria…

Um cliente é sempre um cliente – individualmente, pode até ser irrelevante por aquilo que ele é capaz de comprar de uma empresa.

Já pensou se um hipermercado considerasse irrelevantes aqueles clientes que só fazem compras de até R$50,00?

Nos shopping centers de São Paulo, hoje em dia, quem gasta essa quantia usualmente tem abonado o pagamento do estacionamento…

E, em alguns shopping centers, muito menos que isso… E daí?

Isso quer dizer que alguém vai fazer compras em um hipermercado de shopping center só para ter abonado o valor do estacionamento?

Imaginar isso seria alguém assumir tacitamente sua falta de tino para ser empreendedor!

Um cliente nunca compra um produto: compra um sonho.

E ai daqueles que deixam os sonhos de um cliente se transformarem em pesadelo: esse cliente sempre vai se lembrar disso! Principalmente quando estiver com insônia.

A propósito, como exemplo de empresa que não se dedica à satisfação de seu cliente, nunca recorra à Decolar.com como alternativa de site para sua viagem.

Por quê?

Porque é uma empresa que merece ser tratada do mesmo modo como trata seu CLIENTE

***

“Não importa se o cliente é um faxineiro ou um pedreiro, se ele for bom pagador, a Casas Bahia dará crédito para que ele resgate a cidadania e realize seus sonhos.” (Samuel Klein)

 

Comentários: