A FÓRMULA DO SUCESSO

Qual a fórmula do sucesso?

No futebol a definição do que seria a fórmula do sucesso seria fácil: bastariam chutes certeiros no ângulo!

O problema é que o dia a dia da vida não se resume ao futebol…

Quantas vezes assistindo um jogo de futebol já não ouvimos a seguinte narração:

– Que lance lindo! Um chute no ângulo, de fora da área… Um golaço!

Mas, mais comumente ainda, costumamos ouvir:

– Que coisa feia! Um chute para fora do estádio… Rifou a bola!

Qual a diferença entre as duas narrações?

Na primeira narração quem chutou atingiu seu objetivo, pois fez o gol.

Na segunda quem chutou não atingiu seu objetivo, pois a bola foi longe do gol.

Isso quer dizer o quê?

Que quem fez o gol é gênio, e quem rifou a bola é perna-de-pau?

Por que significaria isso?

Imagine a seguinte hipótese:

– E se quem fez o gol fosse um jogador que estivesse em sua 1.000.000ª tentativa de chute de fora da área – ainda assim, você o consideraria gênio?

Agora, reflita sobre a seguinte constatação:

– Talvez o jogador que rifou a bola (chutou com força do jeito que deu para chutar, sem pensar onde queria que a bola caísse) estivesse em sua 1ª tentativa de chute de fora da área…

E não é dado a nenhum ser dominar o que não sabe…

E como é que aprende o que não se sabe?

Eis então a fórmula do sucesso:

– Estudar;

– Executar;

– Avaliar…

Estes três passos indicam claramente de forma cíclica o roteiro a ser seguido para se atingir o sucesso – e nosso sucesso começa quando estamos abertos à possibilidade de um eventual fracasso em nossas decisões na vida; e justamente por conta disso, procuramos reavaliar rotineiramente nosso desempenho.

Enganam-se aqueles que pensam que são as vitórias que nos ensinam; ninguém aprende nada só com vitórias – a não ser a ostentar uma postura de arrogância, prepotência e ilusão.

São com os erros que alguém aprende:

– Se fiz “assim” e não tive o resultado esperado, que tal fazer “assado”?

Na vida e no futebol as condições de atuação de ambos os atores são as mesmas.

Ou seja, se na vida alguém não tentar, nunca vai um dia conseguir atingir seu objetivo.

E não importa não conseguir atingi-lo na primeira tentativa (ou, futebolisticamente falando, no primeiro chute).

Isso fará parte do aprendizado – desde que se esteja disposto a avaliar cada tentativa, refletindo sempre sobre o quê, em cada uma delas, teria sido o fator determinante para o equívoco, para corrigi-lo na próxima tentativa, e procurar fazer algo diferente.

E sempre procurar aprimorar-se, de maneira que em cada novo chute (tentativa) você esteja menos sujeito a cometer os mesmos equívocos – para não cometer os mesmos equívocos de chutes anteriores.

E daí sempre chutar – tentar, tentar, tentar!

Sucesso na vida é assim que se constrói.

Pois é assim que funciona a fórmula do sucesso: de tanto tentar, uma hora a bola vai entrar…

***

“Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho.” (Tiger Woods)